- Biblioteca Virtual de Enfermagem – Cofen - http://biblioteca.cofen.gov.br -

Valor da Força de Trabalho da Enfermeira

Trata-se de uma análise teórica, cujo objetivo foi compreender como se conforma o valor da força de trabalho da enfermeira, embasada na teoria do valor de Karl Marx.

Valor da Força de Trabalho da Enfermeira

Valor da Força de Trabalho da Enfermeira.

A categoria de análise central é o valor da força de trabalho da enfermeira e as variáveis identificadas para a sua compreensão foram o trabalho feminino; o tempo de formação para o trabalho; a divisão parcelar do trabalho; e o tempo do trabalho.

A estratégia adotada para a construção dos capítulos foi a revisão sistemática da literatura sobre as variáveis selecionadas, e para a discussão dos achados utilizou-se o método dialético.

A análise aponta que a força de trabalho da enfermeira é constituída por elementos que aportam maior valor, como a crescente qualificação e a natureza assistencial-gerencial do seu trabalho, que a capacita para articular os diversos processos de trabalho na saúde. Contudo, os elementos que aportam menor valor à força de trabalho são preponderantes, o que em parte é explicado pela conjuntura social brasileira contemporânea, caracterizada pelo trabalho flexibilizado e precarizado.

Contribui ainda para esse cenário a incipiente organização das enfermeiras enquanto classe trabalhadora, o que as torna mais vulneráveis ao trabalho precarizado, uma vez que as iniciativas individuais para negociação da jornada de trabalho e salário contribuem para a redução do valor da força de trabalho; a competição entre as enfermeiras, o que colabora para o aumento da intensidade da jornada de trabalho e a diminuição do salário; a competição no campo da enfermagem, com a entrada de mão de obra complementar; o modelo assistencial hegemônico na saúde, o modelo biomédico, expresso no trabalho da enfermeira com foco nos aspectos técnicos do trabalho em detrimento dos aspectos políticos; e os fatores relacionados com os determinantes de gênero no mercado de trabalho e no campo da enfermagem, principalmente em seus aspectos subjetivos, que mantêm entre as enfermeiras um sistema de valores morais que remetem ao período pré-profissional.

Por fim, considera-se que a compreensão do valor da força de trabalho da enfermeira não se reduz a sua dimensão econômica, sendo as relações estabelecidas na sociedade os principais fatores que explicam a contradição existente na conformação desse valor.

Compartilhar
[1] [2]