- Biblioteca Virtual de Enfermagem – Cofen - http://biblioteca.cofen.gov.br -

Validação do Diagnóstico de Enfermagem Resposta Disfuncional ao Desmame Ventilatório

A validação de ferramentas utilizadas por enfermeiros, como os diagnósticos de enfermagem, tem sido alvo de estudos para estabelecer sua confiabilidade e uma forma de desenvolvimento do conhecimento e da prática profissional.

Validação do Diagnóstico de Enfermagem Resposta Disfuncional ao Desmame Ventilatório

Validação do Diagnóstico de Enfermagem Resposta Disfuncional ao Desmame Ventilatório.

Recentemente, a NANDA Internacional (NANDAI) listou uma série de diagnósticos de enfermagem que serão retirados de sua taxonomia caso novas evidências de sua validade não sejam estabelecidas nos próximos dois anos. Dentre esses diagnósticos, está incluída a Resposta Disfuncional ao Desmame Ventilatório (RDDV), que representa uma condição clínica importante na prática diária de enfermeiros que atuam em Unidade de Terapia Intensiva.

Resposta Disfuncional ao Desmame Ventilatório

Nesse sentido, o objetivo da presente tese centrou-se em estabelecer a validade do diagnóstico de enfermagem RDDV da NANDA-I. Trata-se de um estudo de validação desenvolvido em três etapas, a saber: elaboração de uma teoria de médio alcance sobre desmame ventilatório disfuncional, análise de conteúdo por juízes e análise da acurácia dos indicadores clínicos da RDDV.

Para a primeira etapa, realizou-se uma revisão integrativa da literatura como embasamento para a construção da teoria de médio alcance. Procedeu-se a busca em cinco bases de dados: Scopus, MEDLINE, CINAHL, SciELO e LILACS, utilizando-se os descritores “Desmame do Respirador”, “Respiração Artificial” e “Cuidados Críticos”. Foram identificados a partir da teoria elaborada 21 indicadores clínicos e 13 fatores etiológicos relacionados ao diagnóstico em estudo. Ademais, foram estabelecidas relações de causalidade entre tais componentes diagnósticos identificados.

Diagnósticos

Na segunda etapa, realizou-se análise de conteúdo dos elementos diagnósticos e suas respectivas definições conceituais e operacionais elaboradas na etapa anterior, mediante avaliação por enfermeiros juízes. Foi adotado um valor de 0,9 para o Índice de Validação de Conteúdo (mediana > 0,9), a fim de considerar a adequação de cada item avaliado individualmente. Dentre os 13 fatores etiológicos analisados, apenas Nutrição inadequada (valor p=0,045; mediana=0,75) foi considerado estatisticamente irrelevante para o diagnóstico. Quanto aos indicadores clínicos, todos foram considerados relevantes para identificação do diagnóstico, no entanto, o Aumento da frequência respiratória acima dos valores basais, o Desconforto respiratório e a Fadiga respiratória necessitaram de ajustes em suas definições seguindo as sugestões dos juízes.

A terceira etapa consistiu na análise da acurácia dos indicadores clínicos da RDDV. A coleta de dados desta etapa foi realizada em dois hospitais distintos, com pacientes adultos internados em unidade de terapia intensiva submetidos ao desmame da ventilação mecânica. Os dados foram obtidos a partir da observação e exame físico dos pacientes, concomitante à busca de informações e dados clínicos no prontuário.

Análise e conclusões

A análise incluiu medidas descritivas e de tendência central. A aderência à distribuição normal foi avaliada mediante aplicação do teste de Lilliefors. Para verificar a sensibilidade e especificidade de cada indicador, aplicou-se o método de Análise de Classes Latentes, que permite identificar um conjunto de indicadores considerados apropriados para a inferência diagnóstica da RDDV.

Os indicadores que apresentaram elevada sensibilidade foram Desconforto respiratório e Uso da musculatura acessória (0,9998 e 0,9998, respectivamente). Os indicadores com elevada especificidade (valores acima de 0,85), considerados sinais confirmatórios da RDDV foram: Desconforto respiratório, Nível de consciência diminuído, Respiração superficial, Expressão facial de medo, Acidose e Agitação. A prevalência estimada do diagnóstico RDDV foi de 15%.

Conclui-se que o conhecimento acerca da acurácia dos indicadores clínicos da RDDV contribui para evidenciar a resposta disfuncional ao desmame ventilatório, fato que possibilitará aprimorar a assistência do enfermeiro no processo de desmame do suporte ventilatório.

Compartilhar
[1] [2]