- Biblioteca Virtual de Enfermagem – Cofen - http://biblioteca.cofen.gov.br -

Revisão Integrativa de Literatura Fatores de Risco Para o Agravamento da Covid-19 em Indivíduos Jovens

Devido às proporções tomadas pela contaminação, a Organização Mundial da Saúde (OMS [1]) declarou como pandêmico o surto de COVID-19 [2], em 11 de março de 2020 3. A alta prevalência dos coronavírus, e a ampla distribuição no mundo, está associado à sua diversidade genética e recombinação genética, em locais com intensa interação entre o homem e animais, facilita o surgimento periódico de novas cepas de coronavírus.

Revisão Integrativa de Literatura Fatores de Risco Para o Agravamento da Covid-19 em Indivíduos Jovens

Revisão Integrativa de Literatura Fatores de Risco Para o Agravamento da Covid-19 em Indivíduos Jovens. Foto: Divulgação

Classificada como uma Zoonose, incluindo a mesma família dos Coronaviridae que ocorreram nas últimas décadas tais como, a síndrome respiratória aguda grave (SARS-CoV), e a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS-CoV), durante o surto atual o SARS-CoV-2 [3] inicialmente chamado de novo coronavírus humano, é responsável pela doença denominada COVID-19 apresentando alta taxa de disseminação entre humanos.

O SARS-CoV-2 é o sétimo membro dos coronavírus que infecta humanos, acomete as células epiteliais alveolares pulmonares
usando endocitose mediada por receptor através da enzima conversora de angiotensina II como receptor de entrada. A transmissão mais provável ocorre por contato e gotículas respiratórias, e também por fômites contaminados por secreções respiratórias, o contato prolongado com casos de COVID-19 apresenta maior risco de contágio, a mesma também pode ocorrer a partir de pacientes assintomáticos.

Fatores de Risco

Independentemente da idade, todos os indivíduos, podem ser infectados pelo SARS-CoV-2 e apresentar a síndrome respiratória aguda. Sobretudo pessoas de meia-idade e idosos são os mais afetados por esta síndrome, que junto àqueles
com comorbidades e imunossupressão mostraram-se particularmente propensos a quadros mais graves e necessidade
de internamento em unidades de terapia intensiva.

Foram confirmados no mundo 1.844.863 casos de COVID-19 (71.779 novos em relação ao dia anterior) e 117.021 mortes (5.369 novas em relação ao dia anterior), até 14 de abril de 2020, pela Associação Pan-Americana de Saúde (OPAS [4]). Esses índices indicam que mesmo diante de medidas protetivas como isolamento social, em todo os países afetados, os casos de notificados continuam crescente.

Diante desse crescente aumento de morbidade, principalmente na população jovem em todo o mundo, este estudo justifica-se através da análise e identificação dos fatores de risco associados para o agravo da COVID-19 em adultos jovens, atraindo mais atenção para esse tema e corroborando com novos estudos que irão contribuir para promoção da saúde dessas pessoas. Visto isso, o presente estudo tem por objetivo descrever as evidências científicas que abordem os fatores de riscos associados à infecção por COVID-19 em indivíduos adultos jovens.

Compartilhar
[5] [6]