13/05/2019

Prevalência e Fatores Associados à Depressão e Ansiedade entre Estudantes Universitários da Área da Saúde

Sobre a prevalência entre os fatores associados à depressão e ansiedade em estudantes universitários da área da saúde.

Aproximadamente 450 milhões de pessoas sofrem de perturbações mentais ou neurobiológicas no mundo. A depressão é considerada a principal causa de incapacitação no mundo.

 

Leia Mais:

A depressão entre estudantes universitários

A depressão é considerada um transtorno multifatorial, apresentando fatores de risco conhecidos, como afetividade negativa, experiências adversas na infância, eventos estressantes, familiares de primeiro grau com diagnóstico, transtornos subjacentes, condições médicas crônicas ou incapacitantes e que acomete cerca de 5,8% da população brasileira. Caracteriza-se por tristeza ou irritabilidade, desinteresse ou desprazer, sentimento de culpa ou baixa autoestima, distúrbios do sono ou apetite, fadiga, dificuldades cognitivas e ideias recorrentes de morte.

Entre os vários tipos de transtornos destaca-se o de Ansiedade Social (TAS) e o de Ansiedade Generalizada (TAG), que trazem dificuldades ao convívio social e aos aspectos da vida em geral. Igualmente daqueles inerentes ao desempenho dos acadêmicos. Nos últimos anos, a saúde mental desses estudantes universitários tornou-se foco de atenção não só dos especialistas da área de saúde, mas da sociedade em geral. Afinal o sofrimento emocional do estudante da saúde não se limita a ele próprio, mas tem impacto emocional sobre sua relação com os pacientes. A princípio esses estudantes universitários da área da saúde geralmente não recebem formação adequada sobre os tópicos de saúde mental e frequentemente se expõem a situações estressantes. O que pode levá-los a um mau desempenho acadêmico, adoecimento psíquico, risco de suicídio ou dificuldade no tratamento do doente.




    revista_enfermagem
    munean
    anais_cbcenf