11/03/2019

Preditores Clínicos Intervenientes Na Adesão De Usuários De Anticoagulante Orais

Identifica os fatores intervenientes para a não adesão de usuários a terapia com anticoagulante oral na manutenção da faixa terapêutica.

Inúmeros fatores destacam-se para o acompanhamento da terapia com Anticoagulantes Orais e, dentre os principais fatores, o conhecimento multidisciplinar sobre o anticoagulante oral. São fatores o mecanismo de ação, tipo de anticoagulante, indicação de uso, faixa terapêutica ideal, dieta, interações medicamentosa, manuseio pré operatório. Sendo assim as condições de monitoração efetiva do anticoagulante oral e adesão do paciente ao tratamento se destacam como desafio para terapia eficaz no manejo do medicamento.

Leia Mais: 

Anticoagulantes orais, investigação continuada e redução de riscos

Para identificar as causas mensuráveis da variabilidade substancial da resposta individual aos anticoagulantes orais, existe uma necessidade continuada de investigação, como os antagonistas da vitamina K e cumarínicos.Ter conhecimento de tais causas melhora a previsibilidade e redução de elevados níveis de morbilidade e mortalidade associado a esses tratamentos, sejam eventos tromboembólicos como também o esperado no tratamento, ou seja, sangramentos.

Como há alto risco de sangramentos, a monitorização laboratorial deve ser frequente, assim como o acompanhamento desses dados, para a análise da eficácia da combinação da terapia antiplaquetária e o uso de anticoagulantes orais.

O acompanhamento dos exames realizados e da terapia com anticoagulante oral devem ser mantidos por um registro contínuo, com a data da próxima verificação da Relação Normatizada Internacional. Podendo assim permitir que os enfermeiros e usuários consigam compreender e estejam cientes quando o resultado do exame atual indica as razões de alterações, e que se fazem necessários o ajuste e reajuste das doses e a duração do tratamento.

 




  • Receba nossas novidades

    Informe seu email válido

    Informe seu Nome