- Biblioteca Virtual de Enfermagem – Cofen - http://biblioteca.cofen.gov.br -

A Prática da Enfermeira em Auditoria em Saúde

A auditoria é uma prática originária da contabilidade. Na área de saúde tem sido utilizada desde a década de 20 com a finalidade de avaliar a qualidade da assistência prestada aos usuários através da análise dos registros em prontuários. Atualmente, também contribui para o controle dos custos hospitalares. Para enfermeiras esta é uma prática que se desenvolve de forma acelerada na última década, no Brasil. A carência de estudos analíticos que abordem este campo de atuação, associado ao movimento progressivo de inserção de enfermeiras nesta área, foi determinante na motivação para realizar esta investigação.

auditoria-saude

A Prática da Enfermeira em Auditoria em Saúde. Foto: Divulgação.

Auditoria em Saúde

O estudo tem como objetivo geral conhecer a prática da enfermeira em auditoria em saúde numa abordagem qualitativa. Foi realizado um estudo multicasos em três lócus distintos: a auditoria interna de uma organização hospitalar, a auditoria externa do comprador privado de serviços de saúde, e o sistema de auditoria do âmbito estadual do Sistema Único de Saúde (SUS [1]) na Bahia.

Foram entrevistadas, com roteiro semi-estruturado, nove enfermeiras auditoras e feita a análise de documentos que orientam ou norteiam esta prática nos serviços e no sistema estudados. A hermenêutica-dialética sustentou a base metodológica em busca de interpretar, em profundidade, o conteúdo dos discursos, para melhor entender o que fazem e como fazem estas profissionais no exercício de sua prática. Os achados apontam que a prática da enfermeira na auditoria interna do hospital privado é rotineira e repetitiva, e tem como foco a análise e correção das contas hospitalares.

As ações destas profissionais são direcionadas para evitar desperdícios, reduzir custos e, principalmente, garantir que todos os procedimentos e equipamentos reembolsáveis utilizados sejam efetivamente cobrados na conta hospitalar. Na auditoria externa, feita pelo comprador privado de serviços de saúde, a prática das enfermeiras é mecânica e repetitiva, baseada no ato de correlacionar as cobranças apresentadas nas contas hospitalares com os registros efetuados nos prontuários dos usuários, tendo como finalidade a identificação de itens excedentes e a redução dos valores a serem remunerados. Neste lócus as enfermeiras revelam que as condições de trabalho são precárias.

Na auditoria do SUS do estado da Bahia as enfermeiras são auditoras em saúde pública. Atuam junto com a equipe multiprofissional numa prática dinâmica, com variados instrumentos e objetos de análise e que se direciona para a análise da eficiência e eficácia dos serviços públicos em saúde. As enfermeiras auditoras do SUS revelam que existe valorização de seu papel dentro da equipe de trabalho e expressam satisfação no exercício desta prática.

Enquanto que a prática exercida pelas enfermeiras na auditoria do SUS parece promover profissionalmente o aumento da auto-estima das enfermeiras, na auditoria privada, interna ou externa, as enfermeiras demonstram insegurança, desmotivação e desgaste com o trabalho, onde suas ações se direcionam para atender aos interesses de seus contratantes, e pouco se relacionam com a assistência prestada pela equipe de enfermagem [2] e com as necessidades do usuário. Considero que estamos em uma fase intermediária, em um processo de construção do nosso perfil, valores e princípios como enfermeiras auditoras e alerto para a necessidade de reflexão e discussão sobre este tema. Concluo esse estudo com a certeza de que, se redirecionada, a prática da enfermeira auditora poderá se constituir em uma intervenção de relevância para contribuir na qualidade da assistência de enfermagem e na atenção à saúde da população, além de consolidar a implementação do SUS.

Compartilhar
[3] [4]