19/04/2017

Pesquisa aponta que bem-estar é principal motivo para largar o cigarro

Doenças geradas pelo tabagismo são responsáveis por aproximadamente 200 mil mortes no Brasil todos os anos.

O cigarro é um dos principais causadores de diversos canceres, entre eles o mais conhecido de pulmão, além das doenças cardiovasculares, que aumentam o risco de problemas de saúde em até 30 vezes quando consumido diariamente e por muitos anos. Entretanto, dados divulgados pelo Ministério da Saúde, através do Vigitel 2015, apontam que houve redução de 34% no número de fumantes adultos nos últimos anos. Segundo a pesquisa, esse percentual em 2015 era de 10,4% contra 15,7%, em 2006.

Mesmo com a considerável redução de fumantes, o levantamento realizado pelo Ministério mostra que as doenças geradas pelo tabagismo são responsáveis por aproximadamente 200 mil mortes no Brasil todos os anos. No mundo, esse número chega a seis milhões de mortes anuais, de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca). Outros fatores preocupantes são os malefícios que o cigarro provoca aos fumantes passivos, ou seja, pessoas que convivem ou inalam diariamente a fumaça do cigarro e por isso, correm tantos riscos de saúde quanto o dependente direto do tabaco.

Por esse motivo, a MAPFRE Saúde desenvolveu o projeto Cessação de Tabagismo, com o objetivo de alertar as pessoas sobre os riscos do cigarro à saúde, a importância da conscientização e de tratamentos que possam auxiliá-las a se livrar da dependência. “Por ser a primeira causa de morte evitável no mundo, atuar sobre o tabagismo é uma prioridade. Se conseguirmos fazer as pessoas pararem de fumar, ótimo, mas mesmo fazê-las diminuir a quantidade ou iniciar mais tarde, uma vez que a dependência também está relacionada à idade em que se inicia o hábito (quanto mais tarde, mais fácil será de parar). Neste projeto podemos perceber que o custo-benefício da intervenção médica ao vício é muito efetivo. Principalmente, quando o fumante passa a visitar o consultório médico rotineiramente e aceita a primeira avaliação sobre sua saúde. De acordo com estudo da OMS, cerca de 70% dos fumantes querem parar de fumar completamente, 46% tentam parar com alguma regularidade e outros 70% de fumantes procuram uma assistência especializada para deixarem o vício”, explica Claudio Tafla, diretor da MAPFRE Saúde.

O especialista comenta que a diminuição do tabagismo está diretamente relacionada à redução de outros problemas de saúde. “Após a pausa na utilização do cigarro, já é possível identificar melhora significativa em doenças cardiovasculares, pulmonares, cânceres, hospitalizações, menor número de recém-nascidos de baixo peso, assim como, incidência de distúrbios físicos, cognitivos e emocionais nos filhos de mães que fumaram durante a gestação, sem contar as questões ligadas à paladar, olfato e outros sentidos, que já se evidenciam melhor, nas primeiras 24 horas de cessação”, finaliza Tafla.

Fonte: [1]




  • Receba nossas novidades

    Informe seu email válido

    Informe seu Nome