08/09/2016

Perfil de idosas que sofreram quedas em uma instituição de longa permanência

O crescimento da população idosa é um fenômeno mundial e um dos agravos mais prevalentes é a ocorrência de quedas.

Anexos

Perfil de idosas que sofreram quedas em uma instituição de longa permanência

A queda em idosos é considerada importante problema de saúde pública devido a sua frequência, morbidades associadas e elevado custo social e econômico, ocasionando aumento da dependência e o início da vida em uma instituição asilar. Trata-se de um estudo de caráter exploratório, descritivo, com o objetivo de identificar o perfil das idosas que sofreram quedas no ano de 2010 e as principais repercussões pós-quedas sofridas entre idosas que vivem numa instituição de longa permanência em Belo Horizonte, Minas Gerais. A coleta de dados ocorreu no mês de dezembro de 2010, utilizando-se os registros de quedas no prontuário das 18 idosas no período de novembro de 2009 a novembro de 2010. Os resultados apontam que 38% das idosas sofreram quedas, com uma média de idade de 79,8 anos. A maior ocorrência de eventos foi no quarto (38,9%); em seguida, no pátio (22,2%) e no refeitório (22,2%). Em relação às consequências das quedas, 72,2% das idosas sofreram escoriações e 5,6% sofreram fraturas. Conclui-se que a prevalência de quedas entre as idosas é alta, embora alguns dos possíveis fatores associados às quedas sejam passíveis de prevenção.

126 KB pdf Baixar



  • Receba nossas novidades

    Informe seu email válido

    Informe seu Nome