- Biblioteca Virtual de Enfermagem – Cofen - http://biblioteca.cofen.gov.br -

Percepções de Enfermeiras Sobre a Assistência Realizada ao Recém-nascido Com Icterícia Neonatal

O nascimento é tido como um processo fisiológico e natural, sendo um momento único, com significado importante para o binômio mãe e bebê, bem como para toda família, que juntos aguardam a chegada do recém-nascido (RN [1]).

No entanto, devido a algumas condições clínicas, alguns RNs precisarão de assistência especializada, necessitando de ambiente apropriado, com recursos tecnológicos e cuidados adequados para garantir seu tratamento e restabelecimento, a exemplo da icterícia neonatal, caracterizada pelo aumento na concentração de bilirrubina plasmática, pela cor amarelo alaranjada da pele e perfusão sanguínea anormal.

Ictericia-Neonatal

Percepções de Enfermeiras Sobre a Assistência Realizada ao Recém-nascido Com Icterícia Neonatal. Foto: Divulgação.

Na maioria dos bebês, a icterícia precoce é fisiológica e inofensiva, mas alguns podem desenvolver icterícia grave, que é prejudicial se não tratada. Níveis altos de bilirrubina podem levar a danos cerebrais, resultando em comprometimento do desenvolvimento neurológico, como paralisia cerebral e perda visual e auditiva. Portanto, a detecção precoce, o encaminhamento oportuno e tratamento adequado da icterícia neonatal são imprescindíveis.

Recém-nascido Com Icterícia Neonatal

A icterícia [2] é uma das alterações mais frequentes do período neonatal, clinicamente manifestada quando os níveis séricos de bilirrubina total encontram-se acima de 5 mg/dL, aproximadamente em 60% a 70% dos RNs a termo e 80% a 90% dos prematuros na primeira semana de vida. Estima-se que 1,5 milhão de RNs apresentam icterícia nos primeiros dias de vida por ano e cerca de 250 mil encontram-se em estado crítico e com maior risco de neurotoxicidade.

A fototerapia é a modalidade terapêutica não invasiva mais utilizada, em que o RN é exposto a uma luz de alta intensidade, capaz de transformar a bilirrubina indireta (molécula lipossolúvel) em uma molécula mais hidrossolúvel, possibilitando, assim, sua eliminação do organismo. Esta terapêutica tem como objetivo reduzir os níveis de bilirrubina indireta e, dessa forma, impedir sua passagem ao Sistema Nervoso Central.

Nesse contexto, o enfermeiro é o profissional responsável pelos cuidados de enfermagem a serem prestados durante a terapêutica prescrita dentro das unidades hospitalares, assim como faz parte de suas atribuições o correto acondicionamento e manutenção de equipamentos utilizados, incluindo o aparelho de fototerapia, portanto possui um papel fundamental no tratamento dos RNs com icterícia neonatal.

A assistência de enfermagem ao neonato com icterícia é de suma importância, pois acarreta em um menor tempo de internação, além de evitar possíveis sequelas irreversíveis. Torna-se necessário conscientizar-se quanto a identificação precoce dos fatores de risco para o RN, melhorando a condição de ajuda no tratamento.

Desta forma, entendendo a importância dos cuidados de enfermagem na assistência realizada junto ao neonato com icterícia é que definiu-se o seguinte objetivo: descrever as percepções de enfermeiras sobre a assistência realizada ao recém-nascido com icterícia neonatal.

Compartilhar
[3] [4]