O Estágio Curricular e o Sofrimento Moral do Estudante de Enfermagem

7 de novembro de 2019 por filipesoaresImprimir Imprimir


O sofrimento moral (SM) é um tema relevante para a educação em Enfermagem. Tendo em vista suas consequências para o estudante e para o exercício profissional. Vem sendo discutido priorizando-se o contexto do cuidado clínico, com poucos estudos no contexto de formação do enfermeiro. Salientam que o SM pode tirar do estudante seu potencial de ação, transformando-o em um sujeito passivo em diferentes circunstâncias. Reforçando práticas coercitivas e estados de dominação preexistentes na Enfermagem, dentre outras consequências para a saúde física e mental.

Leia Mais:

O que é Sofrimento Moral

Define-se o SM como um desequilíbrio psicológico vivenciado por indivíduos ao se depararem com obstáculos que impossibilitam ou dificultam sua intervenção na realidade e a adoção de atitudes e comportamentos considerados corretos em consonância com seu julgamento moral. O indivíduo reconhece sua responsabilidade, tece seu julgamento moral, elege a conduta considerada mais adequada, mas não encontra condições para atuar conforme seu julgamento e valores, entendendo como inadequada sua participação moral.

Contudo o estudante vivencia no estágio curricular problemas no âmbito assistencial e gerencial, que demandam escolhas, estabelecimento de prioridades e mediação de conflitos. Tais problemas igualmente encontram-se muitas vezes relacionados aos modelos de gestão dos serviços de saúde, que têm exigido a mobilização de competências e habilidades diferenciadas dos profissionais, como a capacidade de articulação entre os setores, flexibilidade, multifuncionalidade e capacidade de relacionar-se com a equipe. Essas vivências podem ocasionar SM no estudante, o que pode ser relacionado a entraves para exercer a deliberação moral e a advocacia do paciente, com sentimentos de carência de poder e resistência reduzida.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial