- Biblioteca Virtual de Enfermagem – Cofen - http://biblioteca.cofen.gov.br -

Necessidade de Cuidados Paliativos em Pacientes com Insuficiência Cardíaca Avançada Internados em Um Hospital Terciário

Entre as doenças crônicas, a Insuficiência Cardíaca Congestiva (ICC) apresenta maior taxa de reinternação e mortalidade, limitando a expectativa de vida. Pacientes com ICC avançada frequentemente sofrem de diversos sintomas físicos e psicossociais. Do ponto de vista clínico, a ICC é mais um declínio gradual da função cardíaca, com episódios de deterioração aguda e recuperação discreta do que um episódio de morte súbita. Acomete de 2% a 5 % dos adultos entre 65 e 75 anos e mais de 10% daqueles com 80 anos ou mais, e não é incomum que o paciente receba tratamento agressivo apesar do prognóstico ruim.

 Insuficiência cardíaca

O modelo de Cuidado Paliativo (CP) envolve tomar uma série de medidas bem antes dos estágios finais das doenças, do período próximo ao óbito. Idealmente, o CP deveria se justapor aos tratamentos curativos nos casos de mau prognóstico, em uma abordagem integral centrada no paciente, levando-se em conta as suas necessidades existenciais, psicossociais e clínicas.

Insuficiência cardíaca

A primeira etapa da oferta de CP para a população é identificar quais indivíduos necessitariam desse tipo de cuidado. Tradicionalmente, as necessidades de CP eram estimadas a partir das causas de mortalidade. Mais recentemente, utiliza-se de métodos alternativos de cálculo de prevalências ou medidas diretas na população geral. Entre elas, ferramentas que estimam a probabilidade de óbito em um determinado período (geralmente 1 ano). Um instrumento capaz de identificar pacientes que necessitarão de CP e predizer a mortalidade facilitaria o planejamento de final de vida. Melhoraria a qualidade de vida e auxiliaria os gestores a alocar recursos de forma eficiente.

A Necessidades Paliativas (NECPAL) é uma escala desenvolvida no Centro Colaborador da Organização Mundial da Saúde do Instituto Catalão de Oncologia para predizer a mortalidade de pacientes crônicos e assim permitir o planejamento dos cuidados do último ano de vida. Tendo sido aplicada em diferentes contextos clínicos. Em uma coorte desenhada para avaliar a predição de mortalidade dessa escala aos 12 meses de seguimento. A NECPAL apresentou alta sensibilidade (91,3% IC95%: 87,2–94,2%) e alto valor preditivo negativo (91,0% IC95%: 86,9-94,0).

Compartilhar
[1] [2]