22/02/2019

Ministério da Saúde Pesquisa Hábitos De Vida Dos Brasileiros

Pesquisa do Ministério da Saúde para evitar fatores de risco e para proteção de doenças crônicas.

Para saber os hábitos, comportamentos e situação de saúde dos brasileiros, o Ministério da Saúde realiza anualmente a Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel).

Leia Mais:

Riscos e proteção para doenças crônicas não transmissíveis

Para saber os hábitos, comportamentos e situação de saúde dos brasileiros. Dessa forma é realizado anualmente a Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças crônicas.

As entrevistas para o Vigitel 2019 começaram e seguem até o final do ano. O objetivo é monitorar a frequência e a distribuição de fatores de riscos e proteção para doenças crônicas não transmissíveis.

Os entrevistadores questionam sobre doenças e fatores de risco que têm grande impacto na qualidade de vida da população.

– Dessa forma, conhecer a situação de saúde da população é o primeiro passo para o planejamento de ações e programas que reduzam a ocorrência e a gravidade destas doenças. Entre as doenças avaliadas pelo Vigitel estão diabetes, obesidade, câncer, doenças respiratórias crônicas e cardiovasculares.

O que o Vigitel quer saber

Os participantes são perguntados sobre hábito de fumar, consumo alimentar e de bebidas alcoólicas, prática de atividade física, presença de diabetes e hipertensão. Além disso, são realizadas outras perguntas que não são diretamente sobre saúde. Porém são muito importantes para serem relacionadas com a situação da saúde da população.

A equipe do Vigitel liga apenas para números de telefone fixo além disso participante leva cerca de 12 minutos para responder o questionário. Perguntas sobre informações pessoais (CPF, RG, salário etc) não fazem parte do roteiro do Vigitel.

Podem participar moradores de 18 anos ou mais, residentes em domicílios com telefone fixo nas capitais brasileiras e no Distrito Federal. As ligações são feitas anualmente, em todos os dias da semana como também nos dias não úteis. Em 2018, foram entrevistados cerca de 52.395 indivíduos. As entrevistas do Vigitel 2019 tiveram início no mês de janeiro, com coleta prevista até o mês de dezembro.

Desse modo o Vigitel permite o conhecimento do perfil epidemiológico da população e fornece subsídios aos estados e municípios para o planejamento de ações de promoção de saúde. Como resultado de cumprir esses objetivos, o Vigitel é realizado todos os anos de maneira contínua, o que permite a análise de séries históricas dos principais indicadores de saúde, fundamental para a consolidação da Vigilância de Doenças e Agravos não transmissíveis no país.

Fonte [1]




  • Receba nossas novidades

    Informe seu email válido

    Informe seu Nome