- Biblioteca Virtual de Enfermagem – Cofen - http://biblioteca.cofen.gov.br -

Medidas Preventivas de Lesão Por Pressão Realizadas em Unidades Pediátricas de Terapia Intensiva

Uma das consequências mais comuns, resultante da longa permanência dos pacientes em hospitais, é o aparecimento de alterações de pele. As lesões por pressão (LPP [1]) têm sido alvo de grande preocupação para os serviços de saúde, causando impacto para os pacientes, seus familiares e para o sistema de saúde; com o prolongamento de internações, riscos de infecção e outros agravos, representando uma das maiores complicações que acometem os pacientes críticos hospitalizados, além de ser um tratamento que ocupa o terceiro lugar nos gastos da saúde.

Medidas Preventivas de Lesão Por Pressão Realizadas em Unidades Pediátricas de Terapia Intensiva

Medidas Preventivas de Lesão Por Pressão Realizadas em Unidades Pediátricas de Terapia Intensiva. Foto: Definição

Entende-se por LPP lesões localizadas na pele e/ou tecidos moles subjacente, sobre uma proeminência óssea, resultantes da pressão ou da combinação entre pressão e cisalhamento em uma superfície, causado pela fricção.

De acordo com National Pressure Ulcer Advisory Panel (NPUAP [2]), as LPP são classificadas em estágios de I a IV, que representa a profundidade das lesões e ainda existem as lesões não classificáveis, como as lesões tissulares profundas; lesões relacionadas ao uso de dispositivo médico e lesões em membranas mucosas.

Lesões Por Pressão

As LPP são consideradas um grave problema de saúde pública mundial, sendo um evento adverso multifatorial, ou seja, um problema evitável e de difícil controle; logo, os profissionais e estabelecimentos de saúde podem ser responsabilizados pelo seu surgimento.

A presença de LPP está associada negativamente à qualidade do cuidado, sendo considerada como um indicador revelador da má qualidade dos cuidados prestados; no entanto, esse é um problema multifatorial, que inclui fatores extrínsecos, relativos à exposição física do paciente, como o uso de sedativos, pacientes internados em longo período de tempo e imobilização física e em fatores intrínsecos, inerentes à sua condição clínica, como alterações hemodinâmicas, anemia, desnutrição, diminuição do nível de consciência, alterações nutricionais, incontinência urinária e/ou fecal e extremos de idade.

Prevenção

As ações de prevenção das LPP geram impactos econômicos importantes. Por outro lado, a ocorrência de LPP pode demandar, maiores gastos, investimento de tempo e trabalho da equipe, além de gerar processos judiciais tanto para os profissionais responsáveis pelo cuidado, quanto para as instituições de saúde.

Apesar da dificuldade e das repetitivas tentativas de se abordar o assunto com os profissionais, a problematização referente às lesões é mais correlacionada aos adultos. Na pediatria, esta realidade não é tão reconhecida, fato que é considerado um dos fatores que contribuem para o risco que a crianças estão sujeitas.

Frente a isso o presente estudo teve como objetivo avaliar as medidas aplicadas para prevenir o aparecimento de Lesão por pressão em pacientes de uma unidade de terapia intensiva pediátrica, antes e após treinamento aplicado.

Compartilhar
[3] [4]