- Biblioteca Virtual de Enfermagem – Cofen - http://biblioteca.cofen.gov.br -

Implementação da Metodologia Safety Huddle na Terapia Intensiva Durante a Pandemia Covid-19: Relato de Experiência

No cenário de uma UTI um dos maiores desafios dos gestores de enfermagem é garantir ações de cuidado seguras ao paciente, considerando a alocação adequada dos profissionais de enfermagem de acordo com as necessidades de assistência direta e indireta dos pacientes. Porém, esse desafio se torna ainda mais crítico nos pacientes acometidos pela COVID-19 [1], pois necessitam de suportes de alta complexidade para que os desfechos sejam positivos, ou seja, cura.

Implementação da metodologia Safety Huddle na Terapia Intensiva durante a pandemia Covid-19: Relato de Experiência

Implementação da metodologia Safety Huddle na Terapia Intensiva durante a pandemia Covid-19: Relato de Experiência.

Safety Huddle

Neste contexto da comunicação efetiva, otimização de recursos e diminuição de riscos relacionados à assistência multidisciplinar, surge a metodologia intitulada Safety Huddle, também chamada de “reunião de segurança” proposta pelo Institute Healthcare Improvement (IHI). Esse método aumenta a conscientização de segurança no nível operacional, ou ainda, da linha de frente e ajuda a organização a desenvolver uma cultura de segurança.

No entanto, para operacionalizar e garantir o sucesso do método, alguns indicadores foram eleitos para o monitoramento do paciente na terapia intensiva: número de leitos disponíveis; número de internações; taxa de ocupação; giro de rotatividade; intervalo de substituição; taxa de utilização de ventilação mecânica (VM); tempo médio de VM; carga de trabalho pelo Nursing Activities Score (NAS) alta; e óbito. As instituições já possuíam esses indicadores para a gestão da terapia intensiva, porém não estavam focadas nos subgrupos de pacientes acometidos pela COVID-19.

Segurança do paciente

Dessa forma, um grupo de hospitais independentes manifestou a necessidade de adaptar uma ferramenta de gestão que já possuía o Safety Huddle para garantir, o mais precocemente possível, a obtenção das informações referentes ao paciente com COVID-19 e aos recursos disponíveis para garantir o atendimento no momento oportuno. Foi sugerido, por um time de enfermeiros especialistas em terapia intensiva e que atuam como consultores na área de Qualidade e Segurança do Paciente, a implementação do Safety Huddle nas UTI com o foco nos pacientes acometidos pela doença.

Com isso, esse estudo teve como objetivo relatar a experiência na implementação do Safety Huddle em unidades de terapia intensiva, durante a pandemia da COVID-19, através de uma ferramenta eletrônica, desenvolvida por um grupo de enfermeiros intensivistas e profissionais da tecnologia da informação que atuam na saúde.

Compartilhar
[2] [3]