23/08/2017

Histórias da enfermagem #2

"Ficamos 30 minutos tentando reanimá-lo, mas não conseguimos."
biblioteca virtual de enfermagem histórias

Getty Images

Enfermeiro de um hospital de Barcelona, Albert Tort sabe muito bem como é atender pacientes que estão próximos da morte.

Mesmo assim, ele nunca tinha visto cenas tão “terríveis” quanto às que presenciou nesta quinta-feira no calçadão de Las Ramblas, uma das áreas mais turísticas da cidade catalã.

Tort foi até lá para tentar ajudar dezenas de pessoas feridas pelo ataque feito com uma van. Até agora, 13 mortes foram confirmadas, além de mais de cem feridos.

Ao longo do trecho de 300 metros, Tort viu dezenas de pessoas muito machucadas, e outras que já estavam mortas. A experiência o abalou.

“Cheguei quando a área já estava cercada. Disse para um policial que eu era enfermeiro, e ele me deixou entrar”, contou à BBC.

Após andar por 50 metros, Tort encontrou um homem deitado no chão, que “parecia estar em estado de choque”.

Ele precisava ser ressuscitado com um desfribilador, e Tort conseguiu o aparelho com a ajuda de bombeiros que estavam por perto.

Com a ajuda de um médico, o enfermeiro então trabalhou para salvá-lo.

“Nós tentamos por 30 minutos reanimar aquele italiano, ele tinha 41 anos. Mas ele morreu”, relatou, com tristeza.
‘Situação devastadora’

Tort, que tem anos de experiência na área e se tornou presidente da Faculdade de Enfermagem de Barcelona, seguiu por Las Ramblas para ver quem mais poderia ajudar.

“Conforme fui descendo, havia pessoas que já estavam cobertas (mortas), porque os serviços de emergência não conseguiram chegar a tempo para salvá-las”, disse.

Apesar da gigantesca operação de emergência montada ali, ainda havia muitas pessoas com ferimentos graves deitadas no chão e espalhadas pelo local.

“Eu e o médico, com quem eu estava fazendo a reanimação da outra vítima, nós encontramos muitas pessoas já mortas e outras que nós não tínhamos mais como ajudar”, contou.

O lugar onde a van foi deixada foi onde mais foram encontrados corpos de vítimas e feridos.

“Fizemos tudo o que podíamos, mas realmente foi uma situação devastadora, da qual não podíamos dar conta. Será algo muito difícil de esquecer, porque foi horrível, absolutamente horrível”, disse.

O ataque aconteceu na tarde da última quinta-feira, em um momento em que Las Ramblas ficam cheias de turistas e de moradores locais que trabalham por ali.

O calçadão fica no centro de Barcelona e costuma ser visitado por milhões de turistas de todos os lugares do mundo.

“Eu estava passando pelo local quando voltava da praia, eu moro muito perto de Las Ramblas. A situação foi muito mais difícil do que qualquer coisa que eu enfrento no hospital”, afirmou o enfermeiro.

“Quando fui ajudar as pessoas, tentando fazer tudo o que eu sabia… houve momentos em que era muito difícil me manter forte para conseguir fazer isso.”

Fonte: [1]




    revista_enfermagem
    munean
    anais_cbcenf