- Biblioteca Virtual de Enfermagem – Cofen - http://biblioteca.cofen.gov.br -

Guia de Saúde Mental Pós-pandemia no Brasil

A agenda de saúde frente à pandemia engloba uma gama enorme de áreas que devem ser cobertas, mas é preciso chamar a atenção da comunidade médica, e também da população, para o risco de uma epidemia paralela, que já dá indícios preocupantes: o aumento do sofrimento psicológico, dos sintomas psíquicos e dos transtornos mentais. Embora o impacto da disseminação do coronavírus para as doenças psíquicas ainda esteja sendo mensurado, as implicações para a saúde mental [1] em situações como a que estamos vivendo já foram relatadas na literatura científica.

Guia de Saúde Mental Pós-pandemia no Brasil

Guia de Saúde Mental Pós-pandemia no Brasil.

É possível dividir as consequências da pandemia em quatro ondas. A primeira onda se refere à sobrecarga imediata sobre os sistemas de saúde em todos os países que tiveram que se preparar às pressas para o cuidado dos pacientes graves infectados pela Covid-19 [2]. A segunda onda está associada à diminuição de recursos na área de saúde para o cuidado com outras condições clínicas agudas, devido ao realocamento da verba para o enfrentamento da pandemia. A terceira onda tem relação com o impacto da interrupção nos cuidados de saúde de várias doenças crônicas. A quarta onda inclui o aumento de transtornos mentais e do trauma psicológico provocados diretamente pela infecção ou por seus desdobramentos secundários.

Saúde mental

O aumento dos sintomas psíquicos e dos transtornos mentais durante a pandemia pode ocorrer por diversas causas. Dentre elas, pode-se destacar a ação direta do vírus no sistema nervoso central, as experiências traumáticas associadas à infeção ou morte de pessoas próximas na pandemia, o estresse induzido pela mudança na rotina devido às medidas de distanciamento social ou pelas consequências econômicas, na rotina de trabalho ou nas relações afetivas e, por fim, a interrupção de tratamento por dificuldades de acesso.

Esses cenários não são independentes. Ou seja, uma pessoa pode ter sido exposta a várias destas situações ao mesmo tempo, o que eleva o risco para desenvolver ou para agravar transtornos mentais já existentes.

A ideia dessa publicação não é fazer uma revisão exaustiva sobre todos os elementos de saúde mental associados à Covid-19, mas sim aumentar a conscientização sobre alguns pontos fundamentais. Amparado por evidências científicas, o guia traz orientações e dicas de como o médico não especialista pode ajudar a mitigar o sofrimento psíquico e emocional dos seus pacientes. O material pode ser útil para pessoas que buscam respostas e orientações para problemas que surgiram ao longo da pandemia, como a dificuldade para dormir, a irritabilidade das crianças ou a piora dos sintomas de ansiedade.

Compartilhar
[3] [4]