- Biblioteca Virtual de Enfermagem – Cofen - http://biblioteca.cofen.gov.br -

Guia de Enfermagem na Atenção Primária à Saúde

A atuação do profissional enfermeiro na Atenção Primária à Saúde (APS [1]) tem contribuído para a consolidação do modelo assistencial desvinculando do modelo fragmentado e centrado na doença. No Brasil, a normativa vigente aponta como principal estratégia para consolidação do modelo assistencial na APS a Estratégia de Saúde da Família, com a priorização da assistência às diversas fases da vida.

Guia de Enfermagem na Atenção Primária à Saúde

Guia de Enfermagem na Atenção Primária à Saúde. Foto: Divulgação

A APS é um campo amplo, em que é preciso domínio de várias habilidades e conhecimentos. O fortalecimento da formação de profissionais com conhecimento técnico-científico em diversos aspectos permite a qualificação da assistência. Neste contexto, o profissional enfermeiro precisa estar adequadamente capacitado e munido de ferramentas que facilitem sua atuação. Tais ferramentas como os protocolos do Ministério da Saúde (MS) e da Secretaria de Saúde local, apoiam o profissional no desenvolvimento de raciocínio clínico e crítico para conduzir a consulta de Enfermagem e tomar decisões adequadas. O enfermeiro que atua na APS utiliza, predominantemente, tecnologia leve e leve-dura para assistir ao indivíduo, à família e à comunidade.

Fortalecimento da Atenção Primária à Saúde

Neste cenário de fortalecimento da APS e implementação Estratégia de Saúde da Família, realiza-se o Estágio Curricular Obrigatório (ECO) em APS do Curso de Enfermagem da Escola Superior de Ciências da Saúde (ESCS), Brasília, Distrito Federal (DF), Brasil. Durante o ECO, os estudantes de enfermagem enfrentam o desafio de assistir à população de abrangência da Unidade Básica
de Saúde (UBS), com docentes e com preceptores, na realização de consultas de Enfermagem ao indivíduo em todos os ciclos vitais.

De acordo com a Lei nº 7.498/86 [2], a consulta de Enfermagem é atividade privativa do enfermeiro. Tendo em vista a complexidade desse trabalho e a necessidade de conhecer os protocolos locais, sentiu-se a necessidade de criar ferramenta norteadora para condução das consultas no cenário de prática dos estudantes, inclusive, para facilitar também o gerenciamento do tempo durante
o atendimento.

É importante reafirmar a relevância dos protocolos densos e detalhados para o respaldo profissional e condutas assertivas, mas um instrumento que direciona de forma resumida a consulta de Enfermagem em momentos diferentes da vida do indivíduo, é ferramenta fundamental na organização dos processos de trabalho. O acesso rápido às informações garante com que nenhum dado seja negligenciado, além de propiciar assistência mais segura.

Nesta perspectiva, este estudo tem o objetivo de relatar a experiência da produção do Guia de Enfermagem na Atenção Primária à Saúde de forma a consolidar em material prático, didático e de rápido acesso às informações essenciais para cada perfil de atendimento.

Compartilhar
[3] [4]