- Biblioteca Virtual de Enfermagem – Cofen - http://biblioteca.cofen.gov.br -

Diagnósticos de Enfermagem da Cipe Identificados em Puérperas na Atenção Primária à Saúde

O puerpério inicia-se nas primeiras horas após o parto e o seu término é imprevisível, uma vez que esse período não se limita às alterações físicas experimentadas pelas mulheres, mas sim ao tempo que cada mulher necessita para se adaptar às questões intrínsecas à maternidade. Pode ser classificado como imediato (1° ao 10° dia pós-parto); tardio (entre o 11° e 42° dia); e remoto (após o 42° dia).

Diagnósticos de Enfermagem da Cipe Identificados em Puérperas na Atenção Primária à Saúde

Diagnósticos de Enfermagem da Cipe Identificados em Puérperas na Atenção Primária à Saúde. Foto: Divulgação.

Puérperas na Atenção Primária à Saúde

O período pós-parto também é caracterizado por mudanças fisiológicas que ocorrem no organismo feminino, tais como: aumento das mamas decorrente do processo de lactação, involução uterina e loquiação, cujas finalidades é restabelecer o organismo da mulher à situação não gravídica. Ademais, esse período demanda cuidados diários relacionados à nutrição, à higiene e ao sono. Contudo, o desempenho das atribuições maternas exige muita dedicação e, por esse motivo, muitas mulheres podem negligenciar o autocuidado.

No âmbito familiar, por exemplo, as puérperas podem experimentar mudanças nos papéis familiares, maior necessidade de acessar sua rede de apoio e dificuldades com a amamentação exclusiva. Assim, a complexidade dos eventos vivenciados no pós-parto pode interferir na rotina da mulher, em seus hábitos de vida e nas relações sociais e, portanto, podem comprometer a sua saúde física e mental.

Diante disso, a Estratégia de Saúde da Família (ESF) deve assumir a continuidade dos cuidados à saúde da mulher no período pós-parto. Os profissionais de saúde da Atenção Básica devem realizar visitas domiciliares às puérperas cadastradas nas unidades de saúde, as quais são fundamentais para identificar as reais necessidades dessa população, reduzir a morbimortalidade materna e neonatal, diminuir riscos de complicações pós-parto e proporcionar maior vínculo entre os profissionais e a família.

Dentre os profissionais de saúde, destaca-se o enfermeiro que deve observar todas as modificações e estar atento às necessidades particulares de cada mulher. Por meio da consulta de enfermagem, o profissional poderá obter dados e ter uma visão holística sobre o estado de saúde, a rede social de apoio e o comportamento cultural e familiar de tais mulheres.

Para tanto, o enfermeiro deve lançar mão do Processo de Enfermagem [1] (PE), que consiste no método científico da profissão, executado em cinco passos distintos, a saber: levantamento de dados, diagnósticos de enfermagem, planejamento de enfermagem, implementação das intervenções e avaliação dos resultados.

Diagnósticos de Enfermagem

No PE, destaca-se a identificação dos Diagnósticos de Enfermagem (DE), a qual oferece subsídios para a construção de um plano de intervenções, viabilizando as ações de enfermagem no puerpério. O reconhecimento do DE permite que o enfermeiro verifique os principais problemas de saúde das mulheres e as situações de risco, bem como auxilie na elaboração de estratégias de educação em saúde.

Os DE podem ser identificados por meio do sistema de Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem (CIPE)® e a Teoria das Necessidades Humanas de Maslow, a qual Wanda Horta se apropriou para desenvolver o Processo de Enfermagem (PE), pode fundamentar a identificação dos DE em puérperas.

Logo, diante das alterações que ocorrem no período puerperal e da indispensabilidade do cuidado do enfermeiro, se fez necessária a realização deste estudo, uma vez que a identificação dos DE mais frequentes nas puérperas auxiliará na operacionalização do PE, com a finalidade de favorecer uma assistência holística e individualizada, bem como contribuirá para a identificação das prioridades, suscitando temáticas que devem ser abordadas nas ações de educação em saúde e nas pesquisas acerca das intervenções de enfermagem. Além disso, este estudo aponta para a necessidade de uma reflexão sobre o cuidado do enfermeiro no período pós-parto e sobre o planejamento da sua assistência.

Ressalta-se que a abordagem da literatura acerca dos DE identificados em puérperas no contexto da Atenção Primária à Saúde é escassa, pois o foco maior dos estudos com esse público encontra-se no âmbito hospitalar e/ou ambulatorial.

Destarte, o estudo tem por objetivo identificar os diagnósticos de enfermagem em puérperas cadastradas em uma Unidade Básica de Saúde por meio da Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem (CIPE [2])®.

Compartilhar
[3] [4]