16/01/2018

Conheça o acervo de Maria Ivete Ribeiro de Oliveira

O Museu Nacional da Enfermagem organizou uma coleção com vários itens do ícone da Enfermagem brasileira, Maria Ivete Ribeiro de Oliveira.

O Museu Nacional da Enfermagem – Munean organizou um acervo de suma importância para a história da Enfermagem no Brasil. A coleção conta com vários itens do ícone da Enfermagem brasileira, Maria Ivete Ribeiro de Oliveira.

Pesquisadores, alunos, profissionais da enfermagem e da saúde em geral que tiverem interesse em pesquisar sobre este ícone da Enfermagem entre em contato com o Museu Nacional de Enfermagem pelo email: munean@cofen.gov.br. Para visualizar o acervo disponível basta clicar AQUI.

Maria Ivete - Biblioteca Virtual de Enfermagem - Munean - Cofen - Coren

Fonte: Divulgação

Conheça um pouco da história de Maria Ivete Ribeiro de Oliveira

Enfermeira, Graduada em Enfermagem e em Filosofia pela UFBA; mestre em Ciências Humanas pela mesma universidade; Doutora em Enfermagem pela USP- 1973 com a tese: O papel do enfermeiro como coordenador da assistência ao paciente, que a tornou uma referência nos cursos de administração aplicada à enfermagem. Faleceu em Salvador em 29 de junho de 2003, aos 74 anos de idade.

Presidente da ABEn-Nacional gestão 1984-1986, quando presidiu os Congressos de 1985 (Recife) e 1986 (Rio de Janeiro);  coordenadora da Comissão de Temas do XVI Congresso Brasileiro de Enfermagem (1964) em Salvador; e coordenadora da Comissão de Educação da ABEn por dois períodos.

Ao longo de sua carreira exerceu os seguintes cargos: Presidente do Diretório de Estudantes da UFBA (1949-50); Presidente da ABEn/BA em dois mandatos (1958-1962); Diretora da Escola de Enfermagem – UFBA (1963-1970); Pró-reitora acadêmica da UFBA. Secretária do Trabalho e Bem Estar Social do Estado da Bahia, no governo de Roberto Santos, de 1974 a 1979.  Presidente do Conselho Federal de Enfermagem na gestão 1979-1982; Uma das fundadoras da Fundação Baiana para o Trabalho. Pela UFBA, recebeu o título de professor emérito.

No início da década de 80, liderou a construção do documento: Enfermagem Brasileira em Defesa dos seus Direitos, utilizado para enfrentar o projeto Julianeli (que propunha uma subordinação das ações de saúde ao médico) que mobilizou intensamente a enfermagem e as organizações de enfermagem no Brasil.

Competente negociadora, articulou a reforma do estatuto para antecipar as eleições nacionais da ABEn, atitude que contribuiu para a consolidação de uma nova política na entidade.

Pelos relevantes trabalhos realizados em favor da nossa profissão recebeu o título de sócia honorária da ABEn em 1975.

Fonte: [1]




    revista_enfermagem
    munean
    anais_cbcenf